Cidade de Arujá

Arujá é um município da microrregião de Guarulhos, na Região Metropolitana de São Paulo e Região do Alto Tietê, no estadode São Paulo, no Brasil. Sua população em 2010 era de 74 905 habitantes. Ocupa uma área de 96,167 km², o que resulta numa densidade demográfica de 778,90 habitantes por quilômetro quadrado.

História

Arujá surgiu com um simples traçado de uma estrada vicinal, que saía da Praça da Sé, passava pelo Brás, Penha, Guarulhos, Bonsucesso, Arujá até chegar ao Rio de Janeiro.
Esta estrada era usada por tropeiros que se dispersavam pela floresta à fora, sentido Vale do Paraíba - Rio de Janeiro. Estes tropeiros eram conhecidos como “faisqueiros”. Estes “faisqueiros” eram os responsáveis pelo contato com os índios, extraíam ouro do Rio Jaguari, levando-o para Bonsucesso e de lá para Guarulhos.

Arujá, no período anterior a 1700, exibia sua flora e fauna mantidas em seu “habitat” natural. Não havia nenhuma intervenção urbana, enquanto que seus caminhos serviam de artérias de seu sistema de habitação natural.

A descoberta do ouro foi o primeiro passo para o seu desenvolvimento. Pequena aldeia e depois povoado, não se sabe ao certo em qual década de qual século aconteceu; o que se sabe, é que além da extração do ouro, foi a extração de produtos vegetais como a madeira, em escala mais acentuada, o passo decisivo de seu desenvolvimento, pois servia de fonte de energia industrial e doméstica para São Paulo, em sua fase de urbanização.

A extração desordenada de produtos vegetais, contribuiu com a primeira devastação vegetal na região. Conforme investigação, em vários pontos da mancha vegetal, existiam sulcos retangulares caracterizando grandes covas, conhecidas como “carvoeiras”. A queima de madeira em grande quantidade, coberta com capim e terra, com um respiro numa das extremidades, ficava queimando durante 3 dias ou mais, transformando a madeira em carvão vegetal.

Assim, no período do século XIX ao XX, a flora e a fauna foram devastadas quase que totalmente. Enquanto isso, os próprios canteiros de assentamento das “carvoeiras” transformaram-se em moradias, inserindo grandes manchas de plantações de subsistência. Em conseqüência disso, deu-se a origem de maiores fazendas: cafeeiras, açucareiras, etc., contribuindo para o aparecimento das primeiras manchas urbanas, caracterizando um núcleo de comunidade que se concentrava na antiga estrada vicinal denominada Arujá-Bonsucesso, também conhecida como estrada São Paulo-Rio. Naquele período de povoamento no trecho compreendido ao lado da Igreja Senhor Bom Jesus de Arujá, logo suas margens foram edificadas, permanecendo assim até a década de 50 do século XX.

À partir dessa década de 50, surgiram os primeiros loteamentos na área central, implantando-se os primeiros condomínios, em 1974 a Prefeitura de Arujá informatiza-se. Manchas urbanas estabeleceram-se até a década de 80. Outros empreendimentos envolveram a orla central da cidade tendendo para a direção norte e leste, sendo que esses loteamentos pertenciam à classe mais popular. Este avanço limitou-se no divisor de mananciais e nas superfícies íngremes, limitada esta orla por uma barreira física.
À partir dos anos 90, além do Centro Industrial, da arborização, dos Clubes de lazer e esportes e de dois Golf Clubes, a cidade toma novo impulso com a implantação de novos condominios horizontais, aumentando a qualidade de vida, no setor da comunicação, a cidade possui dois jornais diários de circulação e distribuição gratuita em todo limítrofe municipal (Jornal da Cidade e Jornal de Arujá) .

 

Topônimo

O topônimo "Arujá" é derivado de ribeirão Arujá, ribeirão à margem do qual a cidade se desenvolveu.[7] "Arujá" é um termo de origem tupi que significa "abundância de arus (um tipo de sapo)", pela junção de aru (aru) e îá (repleção, fartura, abundância).

Geografia

Arujá possui 58,7 km² de área urbana, 39 km² de área rural e 52% de seu território é considerado área de proteção de mananciais da Região Metropolitana de São Paulo. Possuindo aproximadamente 75 000 habitantes que dão continuidade ao seu desenvolvimento iniciado em 1781, com a construção da capela dedicada ao Senhor Bom Jesus de Arujá por José de Carvalho Pinto.[carece de fontes]

 

Seu ponto mais alto fica no bairro do Mirante, mais precisamente no campo de futebol do bairro, onde jaz sobre uma altitude de 900 metros acima do nível do mar. O ponto mais baixo fica na Rodovia Pedro Eroles, a Rodovia Mogi-Dutra, a SP-088, na altura do quilômetro 37.5, número 5.353, no logradouro onde está a fábrica BoxColor, onde o relevo jaz a 690 metros acima do nível do mar. Seu centro fica a uma altitude média de 790 metros de altitude. Localiza-se numa altitude média de 755 metros. Arujá é o local mais elevado da Rodovia Presidente Dutra, local este, onde a rodovia alcança cerca de 830 metros de altitude, sendo o ponto mais baixo desta rodovia em São João de Meriti no Rio de Janeiro, a apenas 5 metros acima do nível do mar.

 

O clima é tropical de altitude, tipo Cwa. Pois a pluviosidade não é constante e existe estação seca no inverno, e estação úmida e relativamente quente no verão. Apesar de estar muito próximo ao trópico de capricórnio, o clima ainda se comporta como tropical de altitude, sofrendo a ação das massas atlânticas e polares e de sua própria altitude. A temperatura anual gira em torno dos 18Cº, sendo julho o mês mais frio (média de 14 °C) e fevereiro, o mais quente (média de 22 °C). O índice pluviométrico anual fica em torno de 1400 mm.

 

Arujá é um município que apresenta uma preservação ambiental bastante visível, sendo considerada um dos "pulmões" de área verde no estado e na Região Metropolitana de São Paulo. E possui um sistema de coleta seletiva de lixo desenvolvido, considerado o melhor da Região do Alto Tietê. O que faz o município ter a alcunha de "Cidade Natureza".

 

Seus limites são Santa Isabel a norte e nordeste, Mogi das Cruzes a sudeste, Itaquaquecetuba a sul e Guarulhos a oeste e noroeste.

 

Hidrografia

Rio Parateí

Rio Jaguari

Rio Baquirivu-Guaçu

Índice de desenvolvimento humano

Arujá é o município mais rico da Região do Alto Tietê de acordo com a Fundação Seade e o Instituto do Legislativo Paulista da Assembleia Legislativa dos Estado de São Paulo. O município integra o grupo dois na pesquisa que integra todos os 645 municípios do Estado de São Paulo, neste grupo está incluído os municípios mais ricos e também inclui na Região do Alto Tietê os municípios de Mogi das Cruzes e Suzano. A lista é elaborada com base nos indicadores sociais de cada município.

 

População idosa

O município de Arujá é considerado o melhor da Região do Alto Tietê em relação a qualidade de vida dos idosos, ocupando a 167º lugar do ranking estadual paulista. Os dados são do Índice Futuridade elaborado pela Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados e pela Secretaria Estadual de Assistência e Desenvolvimento Social. O desenvolvimento dessa ferramenta teve a colaboração de um grupo consultivo formado por especialistas nas mais diversas áreas de atenção do idoso, que contribuíram para a elaboração de instrumentos para realizar ações voltadas aos idosos e sensibilização em relação ao processo de envelhecimento entre os paulistas.

 

Demografia

 

Avenida Railda Alves de Oliveira (antiga Avenida B), no bairro Parque Rodrigo Barreto

Dados do Censo - 2010

 

População total: 74 818

 

Urbana: 71 828

Rural: 2 990

Homens: 36 924

Mulheres: 37 894

Densidade demográfica (hab./km²): 810,2

 

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 3,10

 

Expectativa de vida (anos): 68,64

 

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,20

 

Taxa de alfabetização: 92,13%

 

(Fonte: IPEA)

 

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0.784

 

IDH-M Renda: 0,761

IDH-M Longevidade: 0,866

IDH-M Educação: 0,730

(Fonte: PNUD)

 

Infraestrutura

Condomínios

O município de Arujá possui diversos condomínios de classe média e classe alta. De acordo com a prefeitura local, existem oito condomínios registrados com mais de duas mil residências.

 

A criação dos primeiros condomínios ocorreu por volta dos anos 1950, influenciada pela inauguração da Rodovia Presidente Dutra. Outros motivos que levaram a classe média e a classe alta a migrar para Arujá foram os problemas de trânsito e de segurança nos lugares onde habitavam. A maior parte desses condomínios era, anteriormente, apenas chácaras de final de semana. Com o tempo, as administrações municipais tomaram a decisão política de aprovar somente condomínios de alto padrão. Diferentemente de um dos seus municípios vizinhos, Itaquaquecetuba, optou por loteamentos mais simples, voltados para as classes populares. Há a previsão de construção de 500 casas de alto padrão em condomínios até 2010.

 

Transportes

O município não possui trens urbanos, apenas o transporte coletivo por ônibus nas linhas municipais, operadas pela Viação Arujá e integradas com a utilização do Cartão BOM. As linhas intermunicipais estão sob gerência da EMTU, operadas pelo Consórcio Internorte e pelo Consórcio Unileste, que ligam Arujá às cidades de Guarulhos, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Poá, Santa Isabel, São Paulo e Suzano. Existem também algumas linhas de responsabilidade da ARTESP, que interligam Arujá a municípios interioranos e litorâneos como Jacareí, São José dos Campos, Igaratá, Nazaré Paulista, Atibaia, Bertioga e São Sebastião.

 

Educação

O município dispõe de várias escolas de educação infantil, ensino fundamental e ensino médio municipais, estaduais e particulares, uma unidade da ETEC em parceria com o Governo do Estado de São Paulo e uma faculdade de teologia cristã, a FLAM (Faculdade Latino Americana de Teologia Integral).

 

Administração

 

Câmara Municipal de Arujá, órgão legislativo do município.

Prefeito: José Luiz Monteiro (PMDB) (2017/2020)

Vice-prefeito: Márcio José de Oliveira (PRB) (2017/2020)

Presidente da Câmara: Abel Franco Larini (PR) (2017)